Skip to content

Polícia Militar reforça o retrocesso machista

setembro 20, 2012

Faz algum tempo, escrevi sobre o mito de que feministas não querem direitos iguais aos dos homens, mas privilégios: o maior exemplo disso seria o fato de que não lutamos pelo alistamento militar obrigatório para mulheres.

A imagem que resume os mitos contra o feminismo

Sim, eu sei, esses masculinistas (os principais haters do feminismo) são ridículos.

Hoje, este mito infeliz caiu por terra novamente. Foi publicado no Jornal O Dia que não haverá vagas para mulheres no próximo concurso para soldado da Polícia Militar do Rio de Janeiro. E a reação das feministas que conheço foi uma só: ficar COM SANGUE NOZÓIO.

Não é que eu goste da PM do Rio. Ou da PM de qualquer lugar do país. Assim como a ONU, eu acho que essa instituição deveria acabar. Não, eu não quero que a PM acabe porque gostaria de fumar maconha em paz (eu nunca fumei e detesto o cheiro disso), mas porque não apóio a existência de uma instituição cheia de corruptos e que viola direitos humanos básicos.

Como o fim da PM não depende de mim, ela segue aí existindo. E se uma mulher deseja ser soldado da PM, ela deve ter o direito de tentar entrar para a corporação.

E qual é o argumento que usaram para barrar a participação das mulheres neste concurso?

“Segundo o chefe do Centro de Recrutamentos e Seleção de Praças da PM, tenente-coronel Roberto Vianna, o grande rigor físico exigido para o cargo de soldado é a justificativa para que as mulheres sejam excluídas desta seleção”

Essa conversa de que somos o sexo frágil não acaba? Há décadas esse absurdo é repetido à exaustão, mesmo que as mulheres ocupem cargos em trabalhos braçais bem pesados, como a construção civil e o corte de cana-de-açúcar, além das mulheres que são oficiais de outras Forças Armadas. Sem contar as mulheres que carregam sobre os ombros dois galões com litros de chá mate e limonada debaixo do sol nas praias do Rio de Janeiro. Alguém tem coragem de dizer que essas mulheres não aguentam carregar peso?

Lyudmila Pavlichenko, sniper soviética que atuou na Segunda Guerra

Ora, mas é claro que alguém sempre tem coragem de falar bobagem!

Altamiro Bottino, fisiologista do Botafogo, que avalia o funcionamento corporal dos jogadores, por sua vez, é enfático. “É uma decisão acertada. Não é uma avaliação machista, mas realista. Os homens têm, em média, entre 10 e 15 kg de massa muscular a mais que as mulheres, e sete quilos a mais de estrutura óssea. Isso faz muita diferença”

Ah, não é machismo dizer que as mulheres têm capacidades inferiores aos homens, imagina.

O grande absurdo é que, segundo a reportagem, atualmente existem 2,9 mil mulheres trabalhando na PM. Ou seja, esperaram quase 3 mil mulheres entrarem na corporação para perceberem que elas não aguentam o peso do equipamento? Ninguém avisou a elas que a pouca massa muscular e os ossos mais leves fazem MUITA diferença? Ou será que, quando as mulheres recebem o devido treinamento, esses dados fisiológicos não fazem diferença alguma?

Outra prova do retrocesso da PM do Rio enquanto instituição é que o tal tenente-coronel pressupõe que a única função a ser desempenhada pelos futuros soldados será o de policiamento ostensivo, nas ruas, carregando armas pesadas. É por isso que eu sou tão contra e existência desse tipo de polícia. Quem mora aqui no Rio sabe que os policiais aparecem armados com fuzis em qualquer ocorrência, mesmo que nenhum dos civis envolvidos carregue uma pistola sequer. A polícia militar, cujo dever é proteger os cidadãos, não pode continuar a ser sinônimo de uma corporação que só serve como esquadrão de extermínio. A PM pode (e deve) exercer outras funções que não exijam força física e porte de armas pesadas, principalmente nas áreas onde estão instaladas as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs). “Pacificar” um lugar na base do tiro de fuzil não faz sentido. Para que a PM possa, de fato, pacificar lugares dominados pela violência, é necessário que ela própria seja treinada de maneira a deixar para trás a truculência pela qual é reconhecida atualmente.

Daí fui fuçar a Constituição Federal e achei isso aqui:

Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil:

(…)

IV – promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.

Ou seja, como eu entendo que esta discriminação é inconstitucional, denunciei esse concurso para o Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro. Para quem quiser fazer o mesmo, o telefone da ouvidoria é 127. Dá pra denunciar através do site também. Não podemos tolerar um retrocesso tão grande. Não podemos aceitar que uma instituição pública tenha esta atitude discriminatória.

Anúncios

From → feminismo

One Comment
  1. estou chocada com a decisão.

    é bem verdade que homens sem treino físico tem maior força física que mulheres sem treino físico. mas mulheres que treinam por anos a fio conseguem levantar muito mais peso do que muitos homens. não é novidade pra ninguém que há halterofilistas mulheres.

    quando eu olho para as policiais berlinenses (uma boa parte dxs policiais são do sexo feminino), não imagino que elas não sejam capazes de realizar uma atividade física, por mais dura que seja. são mulheres grandes, fortes, e até agora me pareceram competentes em seu trabalho. imagino que muitas policiais brasileiras também o sejam.

    essa pseudo-justificativa nao tem o objetivo de afunilar a entrada para a carreira na pm permitindo apenas os mais competentes. pelo contrário, o objetivo é mostrar que as mulheres nao sao bem vindas naquele local. tanto não são bem vindas que agora serão proibidas. interessante, nao?

    tambem gostei do seu questionamento quanto a necessidade da força física para o trabalho policial. boa parte do trabalho da pm nao requer sequer o uso de armas! mas disso… disso ninguém quer falar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: