Skip to content

Da série: mitos sobre o feminismo – parte 2

junho 18, 2012

Mitos sobre o feminismo #2: “nossa vida estava muito boa antes do feminismo inventar que queríamos ir para o mercado de trabalho. Eu amo cuidar da casa, de crianças e adoraria ser dona-de-casa, mas, graças ao feminismo, sou obrigada a trabalhar fora. Caso contrário, sou vista como uma preguiçosa! Bons tempos em que éramos rainhas do lar!”

Bons tempos. Só que ao contrário.

Outro mito muito comum: as feministas querem obrigar alguém a viver como elas acham melhor. O que é totalmente descabido, porque, como eu vivo dizendo, o feminismo é um movimento que luta principalmente pela liberdade. Que possamos buscar nossa felicidade sem as amarras de papéis de gênero opressores.

Mas, novamente, este mito cai numa das premissas mais fundamentais da nossa sociedade machista: não importa o que a mulher faça, ela está errada. Opa, usa roupa curta e faz muito sexo com vários parceiros? Vadia! Não presta! Usa roupas mais recatadas e tem poucos parceiros? Santinha! Chata, fica regulando mixaria! Quer ser independente, não ter filhos? Louca! Vai destruir os valores familiares! Quer ser dona-de-casa, cuidar da família em tempo integral? Preguiçosa! Quer viver na aba do marido! Mulheres, a regra é clara: vocês já nasceram erradas. Nasceram com o sexo errado, pelo menos.

É claro que uma pessoa mais exaltada pode julgar as decisões das outras. Mas isso depende muito mais de valores pessoais do que de um movimento social tão plural quanto o feminismo. Eu mesma, por exemplo, costumava ser muito mais crítica com as mulheres que decidiam ser donas-de-casa do que sou hoje. Não foi meu feminismo que mudou, mas meu valor pessoal de não criticar os coleguinhas – até porque eu exijo de volta que não me julguem por decisões que cabem apenas a mim, então seria bem hipócrita se eu fizesse isso com @s outr@s. Além disso, hoje entendo que cuidar da casa não diminui ninguém e todo mundo deveria ser livre para ter a escolha de fazer isso em tempo integral, inclusive homens; e que ser independente é um valor pessoal meu de mais ninguém.

Outro mito muito comum atualmente é que as mulheres eram muito mais felizes antes do feminismo, quando a única opção de vida era cuidar da casa. O que mais tem por aí é jornalista divulgando isso. Mas qual a lógica disso? Se as mulheres eram felizes antes, quando não tinham direito algum ao próprio corpo e à própria vida, por que elas se rebelaram contra isso no mundo inteiro? Sim, porque o feminismo foi (e é) um movimento global. Parece coincidência que milhares de mulheres de várias nacionalidades saíram às ruas para lutar por seus direitos ou será que havia (e ainda há) um problema sério que aflige tod@s nós?

A felicidade da “rainha do lar” pré-feminismo.

Esse mito de que o feminismo foi a Caixa de Pandora que trouxe todas as mazelas possíveis às mulheres é uma reação do backlash para fazer com que as mulheres fiquem ressentidas e se afastem de um movimento que só pode ser benéfico a elas. Afinal, como repudiar um movimento que vem lutando desde o início por nossa liberdade? Tente imaginar um cenário semelhante: e se os negros dos EUA começassem a odiar o Martin Luther King e bradassem por aí que antes do Movimento pelos Direitos Civis  a vida era muito melhor? Parece absurdo alguém sentir saudades de ser um cidadão de segunda classe? Bom, isso é um grande absurdo que ninguém deveria levar a sério.

cês traíram o movimento (segregacionista), véi

Anúncios

From → feminismo

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: